segunda-feira, 22 de março de 2010

[ Um lugar ao sol ] o privilégio economica e a sanidade mental de alguns

Documentário de Gabriel Mascaro - (2009). Neste documentário estão os depoimentos de alguns moradores de cobertura de luxuoso edifícios de alguns cidades metropolitanas do Brasil.

O documentário consome uma hora de nossas vidas para mostrar o que já sabemos: A classe alto É ALIENADA!

Nas conversas espontâneas com o entrevistador foi apareceu adolescente barbado, solitários, fóbicos, egocêntrico e até pessoas que se sentem mais próximas de Deus por estarem morando em coberturas.

Um simples apartamento mais alto transforma pessoas em suas posses. Todos os entrevistados são materialistas. Nenhum deles mencionou em trabalho social mas descreveram a vista das coberturas da guerra entre bandidos e a policia.

O que se esperar de pessoas longe do cotidiano de 99% dos brasileiros. Indivíduos que sentam na varanda de casa para ver os fogos de artifício azuis da policia com vermelho dos traficantes e sentem 'graça' disso !

O documentário mostra quem somos, quem é o 'brasil'  (sim com b minúsculo). Abre discussão ampla: desde da identidade do brasileiro até distribuição de recursos;



Alguns 'personagens' deste documentário  mostram o absurdo de uma personalidade fundamentalmente materialista, ou seja, forjada abase de capital estrangeiro: 'você é aquilo que tem'.
Um personagem teve a ousadia de comparar duas pessoas apartir de suas posse: "Alguns andam de FIAT outros andam de PEGEOT!". Como se um ser humano pudesse ser resumido a quinquilharias pereciveis.

O trabalho é a base fundamental para a dignidade humana! Mas o consumismo literamente o consome todo o respeito pela pessoa com alguma fragilidade social!


Um jovem com mais de 20 anos e menos de 30. Utiliza seu um curso universitário como um efente no curriculo. Se isola na sua cobertura comprada pelos pais "que trabalharam muito para ter tudo o que tem" e ele "quer ter a oportunidade de trabalhar muito" embora esse dia não chegue "vai vivendo de musica".

 Não quero ser rico e nem morar em uma cobertura!




quarta-feira, 26 de agosto de 2009

FESTA DA MENINA MORTA


O primeiro filme de Mateus Nachtergaele consegue pertubar o mais indiferente dos telespectadores! A sua vericidade em mostrar o contidiano de uma cerimônia relogiosa pagã mostra as bases da crença humana e nossa luta por encontar seguinificado na vida diante da morte. O filme pertuba! Os elementos ou personagens são bem ligados cada qual possui um peso em cena e todos se 'precisam' para continuar existindo.

Na sinopse, disponibilizada comercialmente, fala sobre o ponto máximo da festa da menina morta. Após 20 anos comemorando o dia em que encontrou o vestido da menina e prévio o falecimento da mãe com sua posteior renascimento! Santinho, persongem de Daniel Oliveira, ver seu mundo cair quando a sua mãe ressugir. Fato que contaria sua crença de tudo saber e que A menina morta não tinha falado nada a respeito. O fato do imprevisivel assusta-o ao ponto de perceber o quanto é frágil seu mundo. Não tendo outro mundo ao qual se apegar fica com que está repetindo ano após ano os mesmos ritos! Neste filme não há personagens maus e sim momentos maus, tornando os personagens vitimas da situação: miséria social, intelectua e pouca pespectiva.


A Festa da Menina Morta (Brasil., 2009) De Matheus Nachtergaele. Roteiro de Matheus Nachtergaele e Hilton Lacerda. Com Daniel de Oliveira, Juliano Cazarré, Jackson Antunes. Cássia Kiss, Dira Paes

quarta-feira, 1 de abril de 2009

Atrás dos muros da escola

Neste filme frances é mostrada a dificil arte de ensina. Um filme-documentario, pois mostra os personagens muito realistas: jovens com dificuldade de atenção, falta de disciplina, profissonais do ensino desmotivados, conflito direto entre alunos e professores,etc. Detalhe todos estes 'ingredientes' estão em um escola publica da frances na qual recebe alunos de toda parte do mundo: chines ou coreanos, africanos legalmente ou não vivendo no país.

A
'questão social' ou 'emocional' fica em menor grau no filme. Os fatos ocorrem em sala de aula ou no patio. O mundo dos personagem é reduzido a 'escola'. Em momento algum no filme algum personagem procuraram investigar a origem dos disturbios dos aluno dentro da sala de aula. Afinal, professor é apenas um facilitador na transmissão do conhecimento!



Foi vencedor da Palma de Ouro no Festival de Cannes 2008, recebeu o prêmio Lumière de melhor filme, concedido pela imprensa internacional na França e
indicado ao Oscar® 2009 de filme estrangeiro. O filme baseado em livro homônimo de François Bégaudeau.


Diretor: Laurent Cantet
Elenco: François Bégaudeau, Nassim Amrabt, Laura Baquela, Cherif Bounaïdja Rachedi, Juliette Demaille, Dalla Doucoure.
Lançamento: setembro de 2008

trailer


Filme Nacional: Juventude

Juventude

Muito obrigado pelo cinenama nacional por nos presentear com esta peróla cinematografica. O filme é um discurso sobre a vida a "longa prazo". As consequências de nossas escolhas hoje. O resultado de uma vida com muito valores ou pouco.

Diretor: Domingos Oliveira.
Elenco: Domingos Oliveira, Aderbal Freire Filho, Paulo José
Estréia Nacional: Março de 2009

A história ou estoria conta a vida atual de três 'velhos' amigos. Cada um com seu modo de vida. Paulo José interpreta um Judeu rico, caseiro e disciplina na arte de ganhar dinheiro, Domingos Oliveira culto, namorador convence qualquer pessoa com seus argumentos, Aderbal Filho interpreta o interno jovem, talvez tenha parado no tempo com uma mentalidade de homem de 18 anos. Inciste em paquerar meninas.


E
m ambas histórias(ou estorias) o amor, sexo são predominantes. São quase homens-pênis possivelmente resultado de um cultura ao prazer ou machistas. Enfim, viveram suas vidas intensamente. Agora todos olham para o amanha com um certeza: morte é uma certeza! Quando jovens procuravam realizar seus projetos de vida: faculdade,emprego, casamento, filho etc;

O
filme lembra em alguns detalhes o filme "Antes de Partir" com Jack Nicholson e Morgan Freeman. Ao contrário deste, o filme de Domingos Oliveira os personagens ceita o estado atual da vida com consequencias de suas escolhas não tentam muda-las ou 'acrescentar' novas experiêncas como culpa por não terem realizado-as antes.

+ infor
trailer


sexta-feira, 14 de novembro de 2008

Violência Gratuita


Funny Games ou Violência Gratuira(titulo brasileiro) é uma refilmagem fiel do filme lançado em 1997, a única diferença são os autores atuais. O diretor é o mesmo, o reteiro não mudaram, um verdadeiro Ctr+C e Ctr+V.
O filme conta uma historia cheia de violência psicologica e fisica contra uma familia rica. Não existe nenhuma justificativa para tal ato. Os personagens carrascos se divertem com a miséria do personagem vitima. Todo telespectador que voluntariamente assisti a este filme nutri a vontade de fim ver os personagens carrascos mortos ou punidos POREM somos nós os personagens mals da historia enquanto os persongens do filme nada mais são do que marionetes de nossa vontade de violencia. É tão verdade essa afirmação que ela esta presente no filme durante um dialogo entre um personagem carrasco e o personagem vitma:
"...porque você não nos mata de uma vez ? (personagem vitima)";
"Não podemos esquecer do entreterimento... (personagem carrasco)";
...

trailer

quinta-feira, 6 de novembro de 2008

Deserto Feliz



Minha opnião sobre o filme:

Durante a 3 mostra de cinema e Direitos Humanos na America Latina na Fundaj de 20 a 26 de outubro de 2008. No dia 23 de outubro de 2008 foi exibido (pela segunda vez na fundaj) o filme "deserto feliz" de Paulo Caldas.

Deserto Feliz, põe em discussão a exploração sexual de adolescentes em Recife e a misérial social que a rodeia: cafetão, drogas, comercio de animais silvestres, familias desestruturadas, falta de pespectiva ...
A baixa escolaridade e a pouca infraestrutura no comercio limitam a vida das pessoas fora do palo metropolitano de Recife reservando a elas uma esperança natalina: " alguém trara a solução". Essa é a esperança na qual a personagem Jessica embarca. Apos ser repetidas vezes abusada sexualmente pelo padastro, decide ser garato de programa em um posto de gasolina: foge com um motorista de caminhão para Recife. Encontra uma cafetona aqual abriga-a em um Kitnet no HollyDay com outras três meninas todas fazem programas. Jessica vive um dia de cada vez e continua assim durtante o filme. O horizonte do personagem limita-se até o por-do-sol. Os personagens experimentam rituais destrutivos uso de alcool e drogas é comum entre eles.


Quem é Paulo Caldas:
Estreou na direção de longas-metragens em 1997, co-dirigindo com Lírio Ferreira Baile perfumado, vencedor do Festival de Brasília. Com uma linguagem visual moderna, o filme foi um dos títulos mais elogiados da primeira safra da retomada do cinema brasileiro. Nascido em João Pessoa em 1964, começou a carreira em Pernambuco fazendo curtas-metragens. Em 1981, dirigiu e escreveu seu primeiro trabalho: Frustrações, isto é um super-8. Fez mais sete curtas em diferentes suportes, entre eles: Morte no Capibaribe (1983), Nem tudo são flores (1985), Chá (1987) – prêmio Embrafilme para produção de curta-metragem –, e Ópera cólera (1992). Após a boa recepção de Baile perfumado, estabeleceu-se no Rio de Janeiro, onde dirige videoclipes, programas de TV, filmes publicitários e campanhas políticas. Em 2000 lançou seu segundo longa-metragem, o documentário O rap do pequeno príncipe contra as almas sebosas – prêmios de público no Festival de Brasília e no É Tudo Verdade - Festival Internacional de Documentários –, co-dirigido com Marcelo Luna. Para televisão, dirigiu com Lula Buarque de Holanda o documentário Sons da Bahia (2002). Em 2005, co-escreveu, ao lado de Marcelo Gomes e Karim Aïnouz, o roteiro de Cinema, aspirinas e urubus, dirigido por Gomes, selecionado para a mostra Um Certo Olhar, do Festival de Cannes e vencedor do prêmio especial do júri no Festival do Rio. Em 2007, lançou o longa de ficção Deserto feliz, pelo qual ganhou o prêmio da crítica, de melhor diretor e de melhor filme do júri popular no Festival de Gramado, e iniciou a preparação de Amor sujo.

Quem é Nash Laila:

Pernambucana, Nash Laila nunca tinha feito nada no cinema, mas arrasa em seu primeiro trabalho. O filme fala de turismo sexual, de tráfego de animais silvestres, mas fala, sobretudo, do universo da personagem Jéssica, uma adolescente que sai de casa e se prostitui.

+
http://www.mulheresdocinemabrasileiro.com/EntrevistaNashLaila.htm


Outras Opniões sobre o filme:

http://www.revistaogrito.com/page/10/09/2008/deserto-feliz-e-exibido-na-mostra-de-10-anos-do-uci-tacaruna/
http://blog.estadao.com.br/blog/merten/?title=vidas_sem_rumo&more=1&c=1&tb=1&pb=1
http://almanaquevirtual.uol.com.br/ler.php?id=10737&tipo=23&tipo2=evento&cot=1

trailer

Um bom filme. Assiti, vivi e abracei os realizadores.



Videos

Loading...